Vinicunca (Rainbow Mountain) – As montanhas coloridas

IMG_5986

Estávamos de olho neste passeio já havia algum tempo, mas muito receosos em fazê-lo. Já ouvíamos relatos de que o negócio era trash, já que o o hikking para se chegar às montanhas é realizado a mais de 4.300 metros de altitude, chegando a 5.200 m. Nós praticamos atividades físicas, mas estamos longe de sermos atletas e termos um preparo físico maravilhoso, então deixamos para resolver lá mesmo se animaríamos de fazer.

Bom, como estávamos no sentindo bem e já relativamente acostumados com a altitude, decidimos encarar e fechamos o passeio com a mesma agência que fizemos os outros tours, a Andean Hiking. Porém, lá em cima, nós perceberíamos que a nossa leve adaptação não nos ajudaria tanto assim…

O passeio se iniciou às 4 h da manhã, quando uma van nos pegou na Plaza del Armas. Nós atrasamos uns trinta minutos para sair, pois duas chinesas perderam a hora e simplesmente não apareceram. Os guias ainda passaram no hotel em que elas estavam, mas que ficava no caminho. Foram cerca de 3 horas de viagem até a primeira parada, pouco antes do início da trilha, onde paramos e tomamos um café da manhã, servido pelos locais. Estava tudo bem gostosinho, havia pão, manteiga, geleia, banana, café e leite.

IMG_5927

Depois que terminamos, seguimos por mais meia hora a entrada da trilha. Vinicunca está localizada na região montanhosa de Vilcanota. Como estávamos um pouco atrasados, foi considerado pegar um atalho pelas montanhas que nos levariam já ao ponto após a subida inicial, mas o caminho estava fechado. Portanto, começamos do lugar normal mesmo. Iniciamos o hikking por volta das 8 da manhã.

Já no início, a 4300 metros acima do nível do mar, começamos uma subida por pedras. Compramos um saquinhos de folhinhas de coca ali mesmo, porque já vimos nesse momento que o negócio realmente ia ser pesado. Munidos de muita água, chapéu, protetor solar e suplementos, subimos pelas pedras até o local onde ficam os cavalos, caminhada que durou cerca de meia hora. Neste ponto, quem não iria nem tentar realizar o trajeto a pé já subiu em um cavalinho (disponibilizado por locais, que acompanham toda a trilha, e cobrando cerca de 90 soles ida e volta), mas nosso objetivo era tentar fazer tudo andando e seguimos.

IMG_5938

IMG_5946

IMG_5953

A paisagem ali é simplesmente de tirar o fôlego – as montanhas, os lagos, a paisagem nevada ao fundo, tudo mescla de uma forma perfeita. Tentamos fazer a trilha bem devagar, e fazendo várias paradas, mas isto não diminuía o cansaço em andar ali. Nosso ritmo (principalmente o meu – Anni), ia reduzindo cada vez mais, e a gente parava toda hora, o que estava prejudicando nosso tempo. Até que chegou um momento quer o cansaço era tão grande , que começamos a considerar o cavalo, o que não pretendíamos no início. Eu (Anni) ainda tentei me esforçar para andar mais, mas em uma determinada subida meu corpo não aguentou. Parecia que o ar não entrava mais nos meus pulmões.

IMG_5960

Pagamos 50 soles para o nativo e subi em um cavalo. O nativo foi nos levando até o final do hikking. Eu estava frustrada, porque queria ter completado o percurso à pé, e com dó do cavalo que também já estava esgotado. Porém, eu pensei que já estava chegando, e ainda faltava um bom pedaço… eu jamais teria conseguido ir andando. Quando olhei pra trás, o Luciano estava vindo também à cavalo, láaa atrás. rs. Quando chegamos no fim, ainda havia uma escada para chegar ao mirante. Nunca sofri tanto para subir um lance de escadas. Foi uma das coisas mais sofridas da minha vida, mas enfim, chegamos lá, aos trancos e barrancos. Foram cerca de 6km para chegar ali, e ainda faríamos o mesmo trecho voltando.

IMG_5993

Lá de cima a vista das montanhas era maravilhosa, e para se ter um visual bacana de Vinicunca, era preciso subir ainda mais. Eu não aguentei dar nem mais o passo, mas o Lu subiu lá e fez umas fotos bem boas. Depois eu arrependi de não ter tentado mais, mas no no momento lá eu estava mal, então não tenho como me julgar, rs.

Para voltar, como eu estava muito cansada, já peguei um cavalo e fui com ele até o final. Eu conseguiria ir andando, já que o trajeto é quase todo descida, mas provavelmente eu iria demorar mais do que o necessário. o Lu fez tudo à pé e aproveitou para tirar umas fotos bem bonitas no caminho.

IMG_6021

Quando voltamos à Van, praticamente todo mundo já estava lá, já que a maioria das pessoas pegou o cavalo logo de cara, e então fez todo o percurso bem rápido. Eu estava tão esgotada, que nem fome eu tinha. Paramos para almoçar em Pitumarca. a quase uma hora de onde iniciamos a trilha. A comida foi bem simples, uma macarronada com frango, mas deu pra recuperar as energias. Até tinha um músico para tocar para gente e dar uma animada na galera.

IMG_6058

Depois de mais umas duas horas de viagem, estávamos novamente em Cusco, mortos, mas prontos para a próxima aventura.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s